Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou nesta quinta-feira, 1/4, a suspensão do mandato do deputado Fernando Cury (Cidadania) por seis meses, como penalidade pela quebra do decoro parlamentar ao assediar sexualmente a deputada Isa Penna (PSOL), durante sessão que se realizava no plenário em 16 de dezembro.

A suspensão por seis meses representou o acordo possível, mas constitui uma vitória das mulheres, na medida que derrotou a decisão tomada pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, aprovada com os votos de cinco deputados, todos homens, e que propunha o afastamento de Cury por apenas 119 dias.

Nos últimos dias, a bancada do PT, sob a liderança da deputada Professora Bebel, empenhou-se na busca de um acordo suprapartidário que pudesse representar, de fato, uma punição e impedir que o parlamento paulista entrasse para a história como uma instituição conivente com o assédio e a violência contra todas as mulheres.

O acordo possível retoma o parecer do relator do processo no Conselho de Ética, o petista Emidio de Souza, que propunha a perda temporária de mandato do deputado Fernando Cury, por seis meses, com suspensão de salários e de todos os benefícios do cargo.

Nossa luta por justiça valeu a pena. Conseguimos ecoar no parlamento paulista a bandeira de que a política, sim, é espaço para as mulheres, porque as mulheres têm o direito de estar no lugar onde elas quiserem estar e não onde o patriarcado e o machismo a querem aprisionar.

Deputadas e deputados do PT na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *