Em agenda com Márcia Lia, Secretário de Segurança Pública se compromete em avaliar reabertura do IML em Bebedouro

23/03/2018

COMPROMISSO

Crédito: Assessoria de Imprensa da deputada Márcia Lia

Deputada Márcia Lia esteve com o secretário na companhia do presidente do PT de Bebedouro, Luís Carlos Freitas, e do vereador Engenheiro Nasser

O secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, assumiu com a deputada Márcia Lia o compromisso de avaliar a possibilidade reabrir o Instituto Médico Legal (IML) na cidade de Bebedouro. A parlamentar esteve com ele, no dia 20 de março, em reunião que contou também com a presença do ex-vereador e presidente do PT de Bebedouro, Luís Carlos Freitas, e do vereador Engenheiro Nasser.

“Foi uma agenda muito proveitosa. Pudemos conversar diretamente com o secretário Mágino e mostrar para ele que a falta do IML e do Instituto de Criminalística na cidade tem sido um problema para a população. Ele assumiu conosco o compromisso de fazer todos os esforços para reativar a unidade e vamos confiar que dará tudo certo”, fala a deputada.

A cidade de Bebedouro está sem IML e sem Instituto de Criminalística há pelo menos 10 anos, quando o Governo do Estado decidiu centralizar o serviço em Barretos. Dois anos depois, em 2010, mudou de ideia e anunciou os órgãos novamente em Bebedouro. Eles seriam instalados em um terreno de 800 metros quadrados, seriam construídos em nove meses e custariam em torno de R$ 1 milhão. Juntos, atenderiam 11 municípios da região, mas a obra nunca saiu do papel.

Um dos problemas do atendimento em Barretos é que há uma espera muito grande pela liberação dos laudos e até dos corpos necropsiados. Muitos são liberados na hora prevista para o enterro.

Por outro lado, existe uma lista de pessoas aprovadas em concursos públicos para os cargos da Polícia Técnica aguardando contratação desde 2013.

Toda essa situação foi colocada para o secretário Mágino, que se comprometeu a avaliar, analisar e verificar todas as possibilidades de atender o município. “Vamos também oferecer mais segurança para a cidade. Bebedouro tem bons indicadores criminais, mas vamos aperfeiçoar e tornar a cidade o mais segura possível”, fala o secretário, referindo-se ao pedido de mais policiamento nas portas das escolas da cidade devido aos inúmeros casos de brigas entre os alunos.

O ex-vereador e atual presidente do PT de Bebedouro Luís Carlos Freitas, que solicitou a intermediação da deputada junto ao Governo do Estado para discutir sobre a unidade do IML, avalia que, mesmo sem saber se o pedido será atendido ou não, foi muito importante levar essa manifestação de insatisfação da população. “Evidentemente, a situação não pode ficar do jeito que está. Não é justo que os familiares de vítimas de mortes violentas fiquem esperando os corpos de seus parentes, muitas vezes até a hora do sepultamento. É enorme o constrangimento das famílias, que sequer têm o direito de ficar ao lado do parente falecido”, diz.

COBRANÇAS

A deputada Márcia Lia já tem cobrado a instalação das unidades junto ao Governo do Estado desde o ano passado, quando encaminhou requerimento de informação 382/2017 ao secretário Mágino Alves, questionando o prazo de instalação do IML em Bebedouro e pedindo número de corpos periciados em Barretos por mês, número de médicos legistas que atendem no local, dentre outros dados.

A parlamentar também apresentou ao governador a indicação 3.238/2017, apontando a necessidade de se fazer os estudos técnicos para a instalação do órgão, reforçando a melhor posição geográfica da cidade para atender os municípios vizinhos.

Em resposta ao requerimento e à indicação, o superintendente da Polícia Técnico-Científica, Ivan Dieb Miziara, disse que a diretoria do Núcleo de Perícias Médico-Legais de Ribeirão Preto era favorável à implantação de equipe de peritos médico-legais em Bebedouro, porém com base no atual quadro de recursos humanos e devido à condição econômica do país, a Superintendência não vislumbrava possibilidades de atender ao pedido. Disse ainda que em um futuro possível faria nova análise do caso.

Fonte: Assessoria de imprensa da deputada Márcia Lia

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *