PT Alesp


Notícias

24/04/2017

DINHEIRAMA

A fonte de Alckmin nunca seca. Quase R$1 bi do Tesouro remanejados para obras de empreiteiras

Crédito: Stealthy Wealth
Alckmin privilegia empreiteiras que investigadas de lhe fornecer propina
Alckmin privilegia empreiteiras suspeitas de lhe fornecerem propinas

A lista de possíveis fontes de propina que desaguam no governador Geraldo Alckmin só crescem. Segundo informações que saíram em matéria da Folha de S. Paulo hoje (24), no ano de 2016, segundo semestre, Alckmin valeu-se de suplementações do Tesouro estadual e operações de crédito (empréstimos com o BNDES) para disponibilizar mais dinheiro para obras da Queiroz Galvão, Serveng, OAS, Camargo Corrêa e Odebrecht, empreiteiras investigadas pela Lava Jato, que foram claramente privilegiadas em detrimento de outras obras, de outras empresas.

Vale lembrar que vários delatores da Odebrecht já admitiram pagamento de propinas para abastecer campanhas não apenas do governador, mas também outros membros do alto escalão do PSDB e de seus apoiadores em busca de manutenção do nome da empreiteira para realização de obras para o Estado.

Em 2016, créditos suplementares de quase R$ 1 bilhão (R$985 milhões) foram abertos e teriam como destino a linha 5-lilás do Metrô, duas obras na rodovia dos Tamoios e o Rodoanel Norte.
Também foram solicitados recursos suplementares do Tesouro Estadual. Valores foram remanejados por decreto, tendo sido retirados de outras áreas.

A matéria aponta que suplementações variaram de 14% da dotação prevista para o ano (caso da linha 5-lilás) a até 50,1% do orçado inicialmente (caso da Tamoios, no trecho da serra) e frisa que nos anos anteriores não houve suplementação para essas obras.

OBRAS E REMANEJAMENTOS

OBRA: Linha 5-lilás do Metrô, no trecho Largo 13-Chácara Klabin
OPERAÇÃO: Crédito Suplementar
VALOR: R$ 181,8 milhões
EMPREITEIRAS ENVOLVIDAS: Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa

OBRA: Ampliação da Tamoios, composta por duas obras
OPERAÇÃO: Suplementação do Tesouro
VALOR: R$ 199,5 milhões para ampliações no trecho de serra, entre o vale do Paraíba e o litoral norte e R$ 153,7 milhões para obras dos contornos, no litoral. Ambas suplementações com recursos do Tesouro
EMPREITEIRAS ENVOLVIDAS: Queiroz Galvão e da Serveng

OBRA: Trecho norte do Rodoanel
OPERAÇÃO: Crédito suplementar
VALOR: R$ 450 milhões
EMPREITEIRAS ENVOLVIDAS: OAS e Mendes Júnior


 Tags

 Versão de impressão Enviar para amigo